Sons da Escrita 084

13 de Outubro de 2006

Terceiro programa do ciclo Ana Luar

Compasso a compasso, palavra a palavra, alinham-se, rigorosos, os sons da escrita.

Quando um homem interroga a água pura dos sentidos e ousa caminhar, serenamente, os esquecidos atalhos de todas as memórias, acontecem viagens — viagens entre o quase tudo e o quase nada.

Então, da raíz dos nervos da memória surge a planta de uma vida escutada no silêncio dos sons da escrita.

Sons da Escrita – à volta de uma ideia de José-António Moreira.


•••

Ana Luar

Mártires da paixão (Ana Luar)

A Lua!
Olho-a da janela da minha sala…
O cheiro da cigarrilha do vizinho chega-me às narinas…
misturando-se com o doce aroma do incenso que queima na mesa da sala.
Estou só!
Não porque me sinta sozinha…
Mas porque é só, que por vezes gosto de estar.
O silêncio insinua algo, não relevante.
Enquanto absurdos e arcaicos sons,
Não conseguem atravessar a boca, com palavras, abolidas.
E a braços com a solidão pintamos a mudez em muros brancos,
Onde o vazio extravasa o abafar da incompletude que nos sacode
Sinto o sufoco de vivermos num corpete apertado de dor,
Onde desajustadamente ocultamos um carácter sofredor.
É por destino fadado… que se escuta a voz do fado.
Somos nomeados ao acaso, no ardor de um sentir desentendido.
E em cada momento de vida sentido…
imploramos em desespero, por um pouco de amor
É pena que o significado urgente desse grito desesperado,
permaneça nu… inválido.
E nessa invalidez de doação, todas as negas fendem os sentimentos…
Que já não se pedem… nem se clamam… Mas que rastejam, imploram!
E no desalento do que somos, descobrimos a incerteza das lágrimas…
Acalentados pela esperança de no abrigo do choro, não fazer morada.
E nesses instantes miraculosos em que a dádiva é diminuta
Para carregar no regaço tão grandes esperanças
Tão exímios corações…
A vida nos ostenta quais personagens…
Mártires de paixão.


Is this love (Whitesnake) 

I should have known better
Than to let you go alone,
It's times like these
I can't make it on my own
Wasted days, and sleepless nights
And I can't wait to see you again 

I find I spend my time
Waiting on your call,
How can I tell you, baby
My back's against the wall
I need you by my side
To tell me it's alright,
'Cos I don't think I can take anymore 

Is this love that I'm feeling,
Is this the love, that I've been searching for
Is this love or am I dreaming,
This must be love,
'Cos it's really got a hold on me,
A hold on me... 

I can't stop the feeling
I've been this way before
But, with you I've found the key
To open any door
I can feel my love for you
Growing stronger day by day,
An' I can't wait to see you again
So I can hold you in my arms 

Is this love that I'm feeling,
Is this the love, that I've been searching for
Is this love or am I dreaming,
This must be love,
'Cos it's really got a hold on me,
A hold on me...

Is this love that I'm feeling,
Is this the love, that I've been searching for...
Is this love or am I dreaming,
Is this the love, that I've been searching for...


Ana Luar

Momentos (Ana Luar)

Teimosamente…
Sinto-me deslizar pelas mãos do tempo
Num silêncio que me deixa o corpo
em desalinho.
São momentos de cansaço…
Em que mansas melodias…
Avivam em mim
memórias de um período que julguei extinto.
Hoje não quero ouvir nada
Nem o som dos pássaros
Nem o choro das crianças
Hoje…
Sim hoje!!!
Vou mandar calar o vento.
Quero apenas a brandura da brisa
Que me embala nos braços da paz.


I wish you peace (Eagles)

I wish you peace when the cold winds blow
Warmed by the fire's glow
I wish you comfort in the, the lonely time
And arms to hold you when you ache inside

I wish you hope when things are going bad
Kind words when times are sad
I wish you shelter from the, the raging wind
Cooling waters at the fever's end

I wish you peace when times are hard
A light to guide you through the dark
And when storms are high and your, your dreams are low

I wish you the strength to let love grow ,
Oh I wish you the strength to let love flow,

I wish you peace when times are hard
A light to guide you through the dark
And when storms are high and your, your dreams are low
I wish you the strength to let let grow,
I wish you the strength to let love flow,
I wish you the strength to let love glow
I wish you the strength to let love grow.


Ana Luar

Viva a liberdade (Ana Luar)

Tenho em mim a obsessão
De ouvir vozes caladas,
Vozes sofridas,
Amarguradas
Vozes em pausas dilatadas
Tristemente silenciadas
Por uma justiça desapiedada

Vozes de:
De meninos violados
De velhos desamparados
Mulheres com sonhos quebrados
Homens duros, obstinados 

Vozes que dissipam em surdina muda
Uma postura entristecida
De quem se encolhe e silencia.

E nesta descontinuidade da fala
A humanidade é fria, gelada
Barbaramente ensanguentada
Por consciências sufocadas

São muitas as vozes que falam,
De atulhadas cobardias
São palavras inexistentes
Das vozes da hipocrisia.

"E viva @ liberdade!"


Freedom rider (Traffic)

Like a hurricane around your heart when earth and sky are torn apart
He comes gathering up the bits while hoping that the puzzle fits
He leads you, he leads you
Freedom rider

With a silver star between his eyes that open up at hidden lies
Big man crying with defeat, see people gathering in the street
You feel him, you feel him
Freedom rider

When lightning strikes you to the bone, you turn around, you're all alone
By the time you hear that silent (or siren?) sound, then your soul is in the lost and found
Forever, forever
Freedom rider
Here it comes


São estas minhas palavras mansas…
que me desnudam em melodias de paixão
como se o meu corpo fosse uma nota solta, suspensa no tempo.
Na escrita manifesto-me em confissão
Nela solto uma inquietude inexplicável…
da proximidade do abismo em que me debruço.
É nos caminhos da escrita, que exijo notícias
de toda a sorte de dias que não vivi.
Pela escrita me ilumino…
Por ela me apagarei!


Música:

Fundos
Yanni

Ligações
Whitesnake, Eagles, Traffic

Textos:
Ana Luar

Edição e voz:
José-António Moreira


•••|•••|•••


And in the end

the love you'll take

is equal to the love you make

© José-António Moreira 2012