Sons da Escrita 041

24 de Dezembro de 2005

Segundo programa do ciclo Eugénio de Andrade

Compasso a compasso, palavra a palavra, alinham-se, rigorosos, os sons da escrita.

Quando um homem interroga a água pura dos sentidos e ousa caminhar, serenamente, os esquecidos atalhos de todas as memórias, acontecem viagens — viagens entre o quase tudo e o quase nada.

Então, da raíz dos nervos da memória surge a planta de uma vida escutada no silêncio dos sons da escrita.

Sons da Escrita – à volta de uma ideia de José-António Moreira.


•••

EugéniodeAndrade

Poema à mãe (Eugénio de Andrade)

No mais fundo de ti, eu sei que traí, mãe.
Tudo porque já não sou o menino adormecido no fundo dos teus olhos.
Tudo porque tu ignoras que há leitos onde o frio não se demora e noites rumorosas de águas matinais.
Por isso, às vezes, as palavras que te digo são duras, mãe, e o nosso amor é infeliz.
Tudo porque perdi as rosas brancas que apertava junto ao coração no retrato da moldura.
Se soubesses como ainda amo as rosas, talvez não enchesses as horas de pesadelos.
Mas tu esqueceste muita coisa; esqueceste que as minhas pernas cresceram, que todo o meu corpo cresceu, e até o meu coração ficou enorme, mãe!
Olha - queres ouvir-me? - às vezes ainda sou o menino que adormeceu nos teus olhos; ainda aperto contra o coração rosas tão brancas como as que tens na moldura; ainda oiço a tua voz: Era uma vez uma princesa no meio de um laranjal...
Mas - tu sabes - a noite é enorme, e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura, dei às aves os meus olhos a beber.
Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.
Boa noite. Eu vou com as aves.


Your mother should know (Beatles)

Let's all get up and dance to a song
That was a hit before your mother was born.
Though she was born a long, long time ago
Your mother should know (Your mother should...)
Your mother should know (...know.)
Sing it again.
Let's all get up and dance to a song
That was a hit before your mother was born.
Though she was born a long, long time ago
Your mother should know (Your mother should...)
Your mother should know (...know.)
Lift up your hearts and sing me a song
That was a hit before your mother was born.
Though she was born a long, long time ago
Your mother should know (Your mother should...)
Your mother should know (Aaaah.)
Your mother should know (Your mother should...)
Your mother should know (Aaaah.)
Sing it again.
Da-da-da-da...
Though she was born a long, long time ago
Your mother should know (Your mother should...)
Your mother should know (Yeah.)
Your mother should know (Your mother should...)
Your mother should know (Yeah.)
Your mother should know (Your mother should...)
Your mother should know (Yeah.)


EugéniodeAndrade

Os amantes sem dinheiro (Eugénio de Andrade)

Tinham o rosto aberto a quem passava.
Tinham lendas e mitos e frio no coração.
Tinham jardins onde a lua passeava de mãos dadas com a água e um anjo de pedra por irmão.
Tinham como toda a gente o milagre de cada dia escorrendo pelos telhados;
e olhos de oiro onde ardiam os sonhos mais tresmalhados.
Tinham fome e sede como os bichos, e silêncio à roda dos seus passos.
Mas a cada gesto que faziam um pássaro nascia dos seus dedos e deslumbrado penetrava nos espaços.


Cause we've ended as lovers (Eric Clapton & Jeff Beck)

(instrumental)


EugéniodeAndrade

Adeus (Eugénio de Andrade)

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.
Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro;
era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes
E eu acreditava.
Acreditava.
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.
Mas isso era no tempo dos segredos,
era no tempo em que o teu corpo era um aquário,
era no tempo em que os meus olhos
eram realmente peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco, mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.
Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor
já se não passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.
Não temos já nada para dar.
Dentro de ti
não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.
Adeus.


Don't say goodbye (Crosby, Stills, Nash & Young)

Never leave me alone (don't say goodbye)
I don't wanna face my world without you.

Never leave me alone (don't say goodbye)
I don't wanna lose your lasting love.

Never tell me goodbye,
I don't wanna live my life without you.

Never tell me goodbye,
I don't wanna see you walk away from me.

If I open up my heart
I can always find you there
So I'll never be apart from you
My heart is on my sleeve
And even though you started to
I hope you never leave,
Never leave, me alone.

If I open up my heart
I can always find you there
So I'll never be apart from you
In you I still believe
And even though you started to
I hope you never leave,
Never leave, me alone.

Never leave me alone (don't say goodbye)
I don't wanna live my life without you.
Never leave me alone (don't say goodbye)
I don't wanna lose your lasting love.


Goodbye my love (Searchers)

Goodbye my love, goodbye my love
Though I love you truly
It was meant to be
That I'd lose your love
Goodbye my love, goodbye

So long my love, be strong my love
You've done nothing wrong
This love can't go on
So take care my love
Goodbye my love, goodbye

And I know that you're not happy at all
Any fool can plainly see
And I know I'm the one you really love
But I can't go on sharing you, sharing you

Goodbye my love, don't cry my love
I love you sincerely
It just had to be
It hurts me so inside to say goodbye
 Goodbye my love
 Goodbye, goodbye, goodbye, goodbye, goodbye



Tu eras neve.
Branca neve acariciada.
Lágrima e jasmim no limiar da madrugada.
Tu eras água.
Água do mar se te beijava.
Alta torre, alma, navio, adeus que não começa nem acaba.
Eras o fruto nos meus dedos a tremer.
Podíamos cantar ou voar, podíamos morrer.
Mas do nome que maio decorou, nem a cor, nem o gosto me ficou.


Música:

Genérico
Davy Spillane (abertura e fecho), Beatles (Fecho)

Fundos
Eric Clapton

Ligações
Beatles
, Eric Clapton & Jeff Beck, Crosby, Stills, Nash & Young, Searchers

Textos:
Eugénio de Andrade

Edição e voz:
José-António Moreira


•••|•••|•••


And in the end

the love you'll take

is equal to the love you make



© José-António Moreira 2012