Sons da Escrita 305

19 de Novembro de 2010

Segundo programa do ciclo Fernando Manuel Noivo

Compasso a compasso, palavra a palavra, alinham-se, rigorosos, os sons da escrita.

Quando um homem interroga a água pura dos sentidos e ousa caminhar, serenamente, os esquecidos atalhos de todas as memórias, acontecem viagens — viagens entre o quase tudo e o quase nada.

Então, da raíz dos nervos da memória surge a planta de uma vida escutada no silêncio dos sons da escrita.

Sons da Escrita – à volta de uma ideia de José-António Moreira.


•••

Fernando Manuel Noivo

As paisagens múltiplas

I
Um poeta
junto ao ribeiro,
desenha na água
as paisagens múltiplas
– os vários sonhos.

O vento empurra
as asas dos pássaros
e as árvores
vão mudando de lugar.

A caneta flui,
escreve,
no lado de dentro da vida
– num papel interior.

Dentro da paisagem flutuante
entre os vários sonhos
o poeta pensa
porque o corpo existe!

II
Para além disto
que mais querer?

Preciso de ti...

O meu corpo não tem
estado bem!

O teu corpo
vai crescendo
sozinho
numa estrada
de palavras,
vai rasgando
o papel
com o tempo.

– Que mais queres?
– Que dizer?
– Que dizer de nós?

Words, words, words!!!!!
Que significado têm as palavras dentro de mim?
(sem o teu corpo).

O que significa o pôr-do-sol?
O que significam
as aves
em torno de mim?,
as pequenas alegrias,
a mão enorme da natureza;
os teus olhos?

Quero dizer:
quero dizer com isto
que o Sol faz escorrer os corpos
junto às laranjas,
que as pernas são doces,
que os seios
são pequenos morangos!

O sumo é vermelho,
branco,
quente,
e fica em cima da tua pele...

Tudo o resto
são pequenas peças
desta escultura,
são figuras
que chamam o poeta
para outros papéis,
outras escritas.

Amo-te!


Words (Rita Coolidge)

Smile an everlasting smile, a smile can bring you
near to me.
Don't ever let me find you gone, cause that would
bring a tear to me.
This world has lost its glory, let's start a brand
new story now, my love.
Right now, there'll be no other time and I can show
you how, MY LOVE.

Talk in everlasting words, and dedicate them all to
me.
And I will give you all my life, I'm here if you
should call to me.
You think that I don't even mean a single word I
say.
It's only words, and words are all I have, to take
your heart away


Fernando Manuel Noivo

Calçaste os teus sapatos de relva

para o poeta Eugénio de Andrade

Calçaste
os teus sapatos de relva,
e,
com o teu coração verde
subiste para a
imensidão eterna.

Aqui, na terra,
de tanto as usar,
as palavras quase que perdem o seu significado;

de tanto as usar,
não encontro agora,
a esta hora,
nenhuma para a colocar
ao lado da flor,
ao lado de ti,
por cima
das várias pedras no chão.

Agora,
na ausência
dos teus versos verdes,
fica o amor mais só
– deste lado,
fica o amor muito maior
– desse lado.

O meta-corpo irá comover-se
nessa imensidão azul;
nas grandes planícies.

Nós,
ficamos mais pobres
porque perdemos
essa grande habilidade de conciliar
as palavras,
de construir os versos.

Os sentimentos
também são,
agora,
– outros;
aqui
deste lado.

Ainda temos as mesmas palavras,
mas não temos a tua capacidade
de as usar.

Aí,
onde começa a tua nova vida,
vais concerteza escrever os teus novos livros
rebuscar os novos sentimentos,
– cristalizar os novos espaços
com a tua sensibilidade.

Daqui,
te admiramos muito!

Do
“assento etéreo”
vais olhar
(não cuspas cá para baixo, por favor!)
e saber
que,
matematicamente,
ou melhor dizendo,
poeticamente
haverá milhares de combinações
para as palavras,
para as nossas palavras,
para cinco palavras apenas!
para sete palavras apenas!
para um milhão de palavras apenas!

Mas nós sabemos
que só tu
consegues
construir essa musicalidade lírica,
esse modo de sentir.

Aí,
vais espalhar a tua arte
por muitos mundos,
pelos mundos por onde passares.

Por isso,
não nos preocupamos
porque o que aí é dito,
vai ser ouvido por nós,
assim que aí chegarmos.

Muitos abraços. – daqui.


Hold on my heart (Genesis)

Hold on my heart
just hold on to that feeling
we both know we've been here before
we both know what can happen

Hold on my heart
cos I'm looking over your shoulder
ooh please don't rush in this time
don't show her how you feel

Hold on my heart
throw me a lifeline
I'll keep a place for you
somewhere deep inside

So hold on my heart
please tell her to be patient
cos there has never been a time
that I wanted something more

If I can recall this feeling
and I know there's a chance
oh I will be there
yes I will be there
be there for you
whenever you want me to
whenever you call oh I will be there
Yes I will be there

Hold on my heart
don't let her see you crying
no matter where I go
she'll always be with me

So hold on my heart
just hold on to that feeling
we both know we've been here before
we both know what can happen
So hold on my heart...


Fernando Manuel Noivo

O teu corpo

O teu corpo
é um copo
onde bebo o teu amor.

Os teus seios
uma nuvem
onde nasce a pequena flor.

O teu sexo
uma viagem vermelha
onde o animal encontra a dor.

Os teus lábios
uma música
que perpassa um qualquer vitral incolor.

Sinto...
dentro da penumbra
um enorme sol que me cura a dor.

Sinto...
as tuas mãos e o teu calor

Ouço o teu amor.


I hear you now (Jon Anderson & Vangelis Papathanasious)

After the first embrace from you my senses knew
The look of love was in your eyes
and after we first make love our senses tingle to
The touch oh how we hypnotize

Oh, to get the feeling on and on
Oh, just to get the feeling

Holding you closer in my arms we drift to heaven
Bringing in the morning light
And after all is said and done there's only us
We can make it right

So, our love will carry on and on
Now our love will be free, be free.

And when we play, love don't delay, I hear you now
For what was then, is what is now, anyhow
As I became a guest of love's tune here again
We'll carry on together like today.

After the first embrace from you I want you too
After the first embrace from you I want you too


O poeta constrói quase diariamente novas palavras. O seu esforço é medido pela saturação das folhas pelo peso
das letras nas páginas; nas páginas que continuamente escreve.


Música:

Genérico
Davy Spillane (abertura e fecho), Beatles (Fecho)

Fundos
Secret Garden, Giovanni Marradi, Devakant

Ligações
Rita Coolidge, Genesis, Jon Anderson & Vangelis Papathanasious

Textos:
Fernando Manuel Noivo

Edição e voz:
José-António Moreira


•••|•••|•••


And in the end

the love you'll take

is equal to the love you make

© José-António Moreira 2012