Sons da Escrita 137

19 de Outubro de 2007

Terceiro programa do ciclo Gonçalo M. Tavares

Compasso a compasso, palavra a palavra, alinham-se, rigorosos, os sons da escrita.

Quando um homem interroga a água pura dos sentidos e ousa caminhar, serenamente, os esquecidos atalhos de todas as memórias, acontecem viagens — viagens entre o quase tudo e o quase nada.

Então, da raíz dos nervos da memória surge a planta de uma vida escutada no silêncio dos sons da escrita.

Sons da Escrita – à volta de uma ideia de José-António Moreira.


•••

GonçaloMTavares

O Senhor Calvino – Outra notícia

Abriu o jornal do dia. Irritou-se, mas não demasiado.
Para ele há muito estava claro:
– Isto não é um país, é um negócio.
Depois passou para as últimas páginas e leu a seguinte notícia:
“Mulher atingida por pequeno meteorito.
Uma cidadã de 76 anos foi atingida por um meteorito (do tamanho de uma avelã) quando se encontrava no jardim da sua casa. Cientistas britânicos acreditam que o meteorito fazia parte de um asteróide situado entre Marte e Júpiter.”
É interessante pensar que o universo, e algumas das suas partes mais distantes, pode possuir o instinto da traquinice, como qualquer criança de seis anos – reflectiu Calvino. Tal como alguns miúdos insuportáveis atiram água, da janela de um 2.º andar, de modo a acertar em cheio na cabeça calva de um transeunte azarado, também o universo tem a sua fisga, à antiga e, de quando em quando, para gozo próprio, lá atira uma pedrinha a um septuagenário que cometeu o erro de sair de casa para tratar das três rosas do seu jardim.
Não se trata de maldade, nem de estratégia de intimidação, trata-se simplesmente do instinto lúdico do universo colocado em movimento. Até um asteróide longínquo terá direito às suas práticas desportivas, defenderão alguns, os mais bem formados.


News (Dire Straits) 

He sticks to his guns
he take the road as it comes
It take the shine off his shoes
He says it's a shame
You know it may be a game
Ah but I won't play to loose
He's burning the grass
Ha take up a glass
He swallow it neat
He crosses the floor
he open the door
He take a sniff of the street
And then she tell him that he's crazy
She's a-saying hey baby
I'm your wife
Yeah she tell him that he's crazy
For gambling a-with his life
But he climbs on his horse
You know he feel no remorse
he just kicks it alive
His motor is fine
He take it over the line
Until he's ready to dive
And she tell him that he's crazy
Yes she's saying listen baby
I'm your wife
Yeah she tell him that he's crazy
For gambling with his life
He sticks to his guns
He take the road as it comes
It take the shine off his shoes
He say it's a shame
You know it may be a game
Ah but I won't play to loose
He sticks to his guns
He take the road as it comes
It take the shine off his shoes
He's too fast to stop
He take it over the top
He make a line in the news


GonçaloMTavares

O Senhor Calvino – Personagem estratégica

Sobre a actividade incansável de uma personagem preguiçosa, que considerava que estar vivo era apenas um pretexto para descansar, Calvino relatou o seguinte:
Recuava até ao ponto em que já não poderia recuar mais.
Atrás havia um precipício.
A seguir avançava até ao ponto a partir do qual tinha espaço atrás de si para poder recuar. Avançar mais não. Não era necessário.
Avançava o suficiente para poder recuar.
Depois recuava de novo até àquele ponto em que já não poderia recuar mais.
Passava, então, os dias nisto.
Para trás era o precipício. Muito para a frente cansava-se.
Andava assim entre aqui e ali.
De noite, para recuperar forças, dormia.
Dormia, umas vezes aqui, outras ali. Mas nunca mais além.


No inbetween (Supertramp)

So pardon me boys / I'm gonna be late
I don't have the choice / I've got to get into shape

It's eight on the nose / And I gotta go
So pass me my coat / I've got to get to the show

Ain't got no feeling / Ain't got no pain
Ain't got no reason / To try again
Don't need no finger / To point at me
Can't let it linger / I must get free

So send me away / Cause I need a break
What more can I say / There's just so much I can take

But don't be so sad / I'm feeling alright
It won't be so bad / If I can get through tonight

It seemed so simple / Let's go out and have some fun
Someone to play to / We didn't know what we'd begun
Then as things grew / We really thought we had it made
But soon we all knew / That we'd be ending up like slaves

The simple fact is / There really ain't no inbetween
You're either up there / Or scurryin' round and lookin' lean
And when you're up there / They just can't wait to tear you down
Just like a treadmill / You find yourself goin' round and round

So pardon me boys...

So just one more time / Yeah that is for sure
And then I'll be fine / Ah but I've said it before


GonçaloMTavares

O Senhor Calvino – Massa de letras (sopa)

É evidente que o senhor Juarroz sabia que esconder-se atrás de um móvel não era o mesmo que esconder-se atrás de uma sombra. O problema desta é que não tem volume.
O senhor Juarroz no entanto não podia deixar de pensar que atrás da sombra da torre alta se está mais bem escondido que atrás da sombra do candeeiro. Não ficamos tapados, pensava o senhor Juarroz, mas ficamos mais longe.
E estar mais longe é outra forma de nos escondermos.
Mais cansativa, no entanto, dizia o senhor Juarroz.


The Venus of the soup kitchen (Prefab Sprout)

The Venus of the soup kitchen is waiting there for me
And all us poor cripples who've been in the wars
And up sleeping on her floor...
When you're scared of down and out
You keep it to yourself and if anyone suspects
You say : "Who me ? Hardly !"
You tell him "Thank your stars, this isn't Derby day
'Cos it's clear you've got the gift for backing the wrong horse, Charlie."
When you're scared of down and out
You camouflage your fear with a fakin' D.J. smile
And maybe some boogie dancin'
But there's no need to be proud
Hey if something's hurtin' you
Could be it hurts your brothers too
From Langley Park to Memphis
Last night, last night I dreamed I dared to raise my head
The Venus of the soup kitchen stood over me
Singin' : "Sometimes the job gets you down
You're ashamed that the word will get round
Well all you poor cripples who've been in the wars
End up sleeping on my floor."
Now some will spin you yarns to keep you quiet for a while
But you know that's not my style, who needs fancy footwork ?
'Cos none of it adds up, no it doesn't weigh a thing
And it doesn't buy you beer, from Langley Park to Memphis
Last ight, last night I dreamed I dared to raise my head
The Venus of the soup kitchen stood over me
Singin' : "Here you are, and I won't tell you've no one else but me
Every night I know you'll be here staring hungrily
Well here you are, no I won't tell 'cos everyone I know
Wanders down here every night they've nowhere else to go."
The Venus of the soup kitchen is standing there over me
Every night I'm gonna be here staring hungrily
The Venus of the soup kitchen is waiting there for me
And all us poor cripples who've been in the wars
End up sleeping on her floor



Em determinados  dias, o seu cérebro emocionava-o o suficiente, e por isso podia evitar outras emoções circunstanciais. Pelo menos, aquelas controláveis.
Lembrava-se bem, aliás, da infelicidade que acontecera a um seu amigo que, como tinha uma paralisia facial, estava sempre a rir, acontecesse o que acontecesse.


Música:

Genérico
Davy Spillane (abertura e fecho), Beatles (Fecho)

Fundos – Dead Can Dance, Patrick O’Hearn, Carlos Nuñez

Ligações – Dire Straits, Supertramp, Prefab Sprout

Textos:
Gonçalo M. Tavares

Edição e voz:
José-António Moreira


•••|•••|•••


And in the end

the love you'll take

is equal to the love you make

© José-António Moreira 2012