Aniversário_José António Moreira_65 anos


pai,
... não seriam precisos outros sons que não os da memória da tua voz; nem outras imagens para além dos instantes que guardo dentro de mim. mas precisei de dizer(-te) alguma coisa. chamo-te "saudade".
o arsélio fez-me companhia.
um dia, confidenciei ao joão que tinha aprendido a escrever verdadeiramente lendo os textos do arsélio. e é verdade – queria escrever assim. li muitos e ouvi todos na tua voz… dedo no ar, golpe de estado, pré-textos, sons da escrita, aldeia global. tantos projectos concretizados!
por isso, neste dia e nesta nova circunstância, acho que faz sentido esta troca de papéis: desta vez, é o arsélio a ler-te. geometricamente.


ADEUS GEOMÉTRICO

Determina a verdadeira grandeza da amizade

Rebate a verdade em direcção ao peito

E terás a dimensão, a energia, talvez o jeito

Para construir o futuro, a imensa-idade.

Intersecta planos, determina a rectidão

Ponto a ponto, projecção a projecção

Avalia o declive ou a inclinação

E sobe, sobe sempre a rampa da vida

Descobrindo em cada rosto uma pessoa amiga

De vez em quando

Faz uma revisão geral

Não há linhas de fuga

Em dupla projecção ortogonal




© José-António Moreira 2012