Sons da Escrita 133

21 de Setembro de 2007

Segundo programa do ciclo José de Almada Negreiros

Compasso a compasso, palavra a palavra, alinham-se, rigorosos, os sons da escrita.

Quando um homem interroga a água pura dos sentidos e ousa caminhar, serenamente, os esquecidos atalhos de todas as memórias, acontecem viagens — viagens entre o quase tudo e o quase nada.

Então, da raíz dos nervos da memória surge a planta de uma vida escutada no silêncio dos sons da escrita.

Sons da Escrita – à volta de uma ideia de José-António Moreira.


•••

José de Almada Negreiros

Textos de intervenção.4 (José de Almeida Negreiros)

Em geral costuma-se chamar artista ao pintor, ao escultor, ao escritor, ao arquitecto, ao compositor de música, etc. Ora, tanto o pintor como o escultor e qualquer dos restantes não só não são artistas como podem até não chegarem a ter alguma coisa que ver com Arte.
Um exemplo:
Numa capital estrangeira estava aberta uma exposição de pintura, escultura e arquitectura. Os anúncios para essa exposição eram lealíssimos. Apresentavam-se efectivamente obras sem tendências modernas. Eram em número de três mil as obras expostas. A essa exposição chamavam-lhe nacional. Percorremos as várias salas e o nosso espanto também. Aqueles seiscentos pintores daquelas três mil obras sabiam mexer em tintas e pincéis! A nós, estrangeiros, tornava-se impossível distinguir autores naquela numerosidade uniforme. Porém, estava ali um facto incontestável: um povo que sabe pintar! Pintar? Todos! Artista? Nenhum! Não houve neste exemplo a mínima ironia. Pelo contrário, recebemos uma lição: ser pintor, escultor, arquitecto, etc., não é Arte, é o ofício de pintar, esculpir, construir casas, etc., e uma profissão como qualquer outra.


Working class hero (Green Day)

As soon as you're born they make you feel small
By giving you no time instead of it all
Till the pain is so big you feel nothing at all
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

They hurt you at home and they hit you at school
They hate you if you're clever and they despise a fool
Till you're so fucking crazy you can't follow their rules
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

When they've tortured and scared you for twenty odd years
Then they expect you to pick a career
When you can't really function you're so full of fear
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

Keep you doped with religion and sex and TV
And you think you're so clever and classless and free
But you're still fucking peasants as far as I can see
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

There's room at the top they are telling you still
But first you must learn how to smile as you kill
If you want to be like the folks on the hill
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

If you want to be a hero well just follow me
If you want to be a hero well just follow me


José de Almada Negreiros

Textos de intervenção.5 (José de Almeida Negreiros)

Ser desenhador é o ofício de desenhar, como o de pintor pintar, quadros ou muros, como o de escultor esculpir, imagens ou canteiros, etc. São ofícios, estudos e obras de oficina, negócios e contas de profissão.
É mesmo esta a única razão de haver escolas oficiais para pintores, escultores, arquitectos, etc. Como as há também para engenheiros, médicos, advogados, etc. E efectivamente nenhuma profissão é menos importante que outra na colectividade.
Mas a Arte é uma outra coisa diferente de tudo isto e inconfundível de espécie e de acção.
E assim como é clara a razão para haver escolas oficiais para pintores, escultores, arquitectos, músicos e literatos como as há oficiais também para toda e qualquer outra profissão, assim também é evidente que é inadmissível a inexistência ou a formação de uma escola oficial para artistas.


School (Supertramp)

I can see you in the morning when you go to school
Don't forget your books, you know you've got to learn the golden rule,
The teacher tells you stop your playin' get on with your work
And be like Johnnie - "too-good", don't you know he never shirks
- he's coming along!

After school is over you're playing in the park
Don't be out too late, don't let it get too dark
They tell you not to hang around and learn what life's about
And grow up just like them - won't let you work it out
- and you're full of doubt

Don't do this and don't do that
What are they trying to do? Make a good boy of you
Do they know where it's at?
Don't criticize, they're old and wise
Do as they tell you to
Don't want the devil to
Come and put out your eyes

Maybe I'm mistaken expecting you to fight
Or maybe I'm just crazy, I don't know wrong from right
But while I am still living, I've just got this to say
It's always up to you if you want to be that
want to see that
want to see it that way
- you're coming along!


José de Almada Negreiros

Textos de intervenção.6 (José de Almeida Negreiros)

A grande maioria das obras que se costuma incluírem-se na Arte e as quais vêm assinadas pelos que as executaram, não passa de glosas mais ou menos felizes das obras de legítimos autores.
Ser autor é o caso mais sério que se regista na história da inteligência humana. Ser autor é, depois de saber tudo o que se conhece, trazer-nos inédito o que ainda pertence ao conhecimento geral. A humanidade é um indivíduo único, colectivo, geral e por isso mesmo anónimo. A humanidade reconhece o seu próprio caminho mas não o conhece senão até onde já foi. O autor toma a dianteira à humanidade para a prevenir de viva voz do seu próprio caminho. Recordai e ligai: autor e artista são ambos da mesma ordem.


Sweet painted lady (Elton John)

I'm back on dry land once again
Opportunity awaits me like a rat in the drain
We're all hunting honey with money to burn
Just a short time to show you the tricks that we've learned

If the boys all behave themselves here
Well there's pretty young ladies and beer in the rear
You won't need a gutter to sleep in tonight
Oh the prices I charge here will see you alright

So she lays down beside me again
My sweet painted lady, the one with no name
Many have used her and many still do
There's a place in the world for a woman like you

Oh sweet painted lady
Seems it's always been the same
Getting paid for being laid
Guess that's the name of the game

Forget us we'll have gone very soon
Just forget we ever slept in your rooms
And we'll leave the smell of the sea in your beds
Where love's just a job and nothing is said


Um artista não o pode ser nunca senão por verdadeira superioridade a tudo o que o rodeia. E um homem superior não só não atropela ninguém como ainda por cima tem uma generosidade própria a qual anima tudo e todos em redor de si.


Música:

Genérico
Davy Spillane (abertura e fecho), Beatles (Fecho)

Fundos
Sonic Eclipse, Phokus Group, Bruno Lobo

Ligações
Green Day, Supertramp, Elton John

Textos:
José de Almada Negreiros

Edição e voz:
José-António Moreira


•••|•••|•••


And in the end

the love you'll take

is equal to the love you make

© José-António Moreira 2012