Sons da Escrita 070

8 de Julho de 2006

Primeiro programa do ciclo Mário Cesariny

Compasso a compasso, palavra a palavra, alinham-se, rigorosos, os sons da escrita.

Quando um homem interroga a água pura dos sentidos e ousa caminhar, serenamente, os esquecidos atalhos de todas as memórias, acontecem viagens — viagens entre o quase tudo e o quase nada.

Então, da raíz dos nervos da memória surge a planta de uma vida escutada no silêncio dos sons da escrita.

Sons da Escrita – à volta de uma ideia de José-António Moreira.


•••

Mário Cesariny

Ao longo da muralha que habitamos

Ao longo da muralha que habitamos,
Há palavras de vida, há palavras de morte!
Há palavras imensas que esperam por nós
E outras frágeis, que deixaram de esperar.
Há palavras acesas como barcos
E há palavras homens, palavras que guardam
O seu segredo e a sua posição
Entre nós e as palavras, surdamente,
As mãos e as paredes de Elsenor
E há palavras e nocturnas palavras, gemidos,
Palavras que nos sobem ilegíveis à boca,
Palavras diamantes palavras nunca escritas,
Palavras impossíveis de escrever,
Por não termos connosco cordas de violinos,
Nem todo o sangue do mundo, nem todo o amplexo do ar!
E os braços dos amantes escrevem muito alto,
Muito além do azul onde, oxidados, morrem
Palavras maternais — só sombra, só soluço,
Só espasmos, só amor, só solidão desfeita!
Entre nós e as palavras, os emparedados;
E entre nós e as palavras, o nosso dever de falar.


No inbetween (Supertramp) 

So pardon me boys
I'm gonna be late
I don't have the choice
I've got to get into shape
It's eight on the nose
And I gotta go
So pass me my coat / I've got to get to the show

Ain't got no feeling
Ain't got no pain
Ain't got no reason
To try again
Don't need no finger
To point at me
Can't let it linger
I must get free

So send me away
Cause I need a break
What more can I say
There's just so much I can take
But don't be so sad
I'm feeling alright
It won't be so bad
If I can get through tonight

It seemed so simple
Let's go out and have some fun
Someone to play to
We didn't know what we'd begun
Then as things grew
We really thought we had it made
But soon we all knew
That we'd be ending up like slaves
The simple fact is
There really ain't no inbetween
You're either up there
Or scurryin' round and lookin' lean
And when you're up there
They just can't wait to tear you down
Just like a treadmill
You find yourself goin' round and round

So pardon me boys
I'm gonna be late
I don't have the choice
I've got to get into shape
So just one more time
Yeah that is for sure
And then I'll be fine
Ah but I've said it before


Mário Cesariny

Como a vida sem caderneta

Como a vida sem caderneta
como a folha lisa da janela
como a cadela violeta
- ou a violenta cadela?
Como o estar egípcio emudado
no salão do navio de espelhos
como o nunca ter embarcado
ou só ter embarcado com velhos
Como o ter-te procurado tanto
que haja qualquer coisa quebrada
como percorrer uma estrada
com memórias a cada canto
Como os lábios prendem o corpo
como o corpo prende a tua mão
como se o nosso louco amor louco
estivesse cheio de razão
E como se a vida fosse o foco
de um baço, lento projector
e nós dois ainda fôssemos pouco
para uma tempestade de cor
Um ao outro nos fôssemos pouco
meu amor meu amor meu amor


My love (Paul McCartney)

And When I Go Away
I Know My Heart Can Stay With My Love
It's Understood
It's In The Hands Of My Love
And My Love Does It Good
Wo-Wo-Wo-Wo-Wo-Wo
My Love Does It Good
And When The Cupboards Bare
I'll Still Find Something There With My Love
It's Understood
It's Everywhere With My Love
And My Love Does It Good
Wo-Wo-Wo-Wo Wo-Wo-Wo-Wo
My Love Does It Good

I Love Oh Wo......My Love
Only My Love Holds The Other Key To Me
Oh....My Love Oh...My Love
Only My Love Does It Good To Me

Solo

Wo-Wo-Wo-Wo Wo-Wo-Wo-Wo
My Love Does It Good

Don't Ever Ask Me Why
I Never Say Goodbye To My Love
It's Understood
It's Everywhere With My Love
And My Love Does It Good
Wo-Wo-Wo-Wo Wo-Wo-Wo-Wo
My Love Does It Good
Oh....My Love Oh...My Love
Only My Love Does It Good To Me


Mário Cesariny

Em todas as ruas te encontro

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto tão perto tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura
Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco


Searchin' (Carlos Santana)

Searchin’, I’m always searchin’
Searchin’ for my beloved
I’m gonna keep on searchin’ ‘cause
I need your love, yea
Listen, my heart is callin’
Longing to have you near me
Please believe me what I’m sayin’
is true
Every morning I wake up to you
Searchin’, searchin’, searchin’,
searchin’
Every afternoon you help me through
Searchin’, searchin’, searchin’,
searchin’
Every night my thoughts return to
calling you
Lover, don’t keep me waiting
You must hear what I’m saying
I’m gonna keep on searchin’ till I win
your love
I can almost hear her gentle voice
Searchin’, searchin’, searchin’,
searchin’
I can almost hear her smile of light
Searchin’, searchin’, searchin’,
searchin’
I can almost feel the love reach out
to me


Um pássaro a pino sobre as rochas; um pássaro jamais visto; um pássaro só pássaro; um pequeno pássaro enorme, fascinante, gelado
Um pequeno pássaro vivo sobre as coisas, como um lado do mar, brilhante, impalpável, seguro
e, apesar disso, impossível, terrível, obsediante.
Foi quando me voltei para dizer-te: «Repara!» — que ele passou.


Música:

Genérico
Davy Spillane (abertura e fecho), Beatles (Fecho)

Fundos
Andy Summers

Ligações
Supertramp, Paul McCartney, Santana

Textos:
Mário Cesariny de Vasconcelos

Edição e voz:
José-António Moreira


•••|•••|•••


And in the end

the love you'll take

is equal to the love you make

© José-António Moreira 2012