Sons da Escrita 303

5 de Novembro de 2010

Terceiro programa do ciclo Vasco Graça Moura

Compasso a compasso, palavra a palavra, alinham-se, rigorosos, os sons da escrita.

Quando um homem interroga a água pura dos sentidos e ousa caminhar, serenamente, os esquecidos atalhos de todas as memórias, acontecem viagens — viagens entre o quase tudo e o quase nada.

Então, da raíz dos nervos da memória surge a planta de uma vida escutada no silêncio dos sons da escrita.

Sons da Escrita – à volta de uma ideia de José-António Moreira.


•••

Vasco Graça Moura

Fado firmeza

amor não quero nenhuma
forma de instabilidade
como nas praias a espuma
ou no mar a tempestade

como a sombra e como a bruma
e uma incerta claridade
como tudo o que avoluma
amarguras, ansiedade

quero o sol quando ele apruma
seus raios em liberdade
quero as canções uma a uma
só de alegre agilidade

quero a proa quando ruma
pela barra e se vê que há-de
cortar onda que presuma
de a devolver à cidade

quero a leveza da pluma
da gaivota que mais brade
quero o vento que perfuma
lá muito ao longe a saudade

quero as águas verdes de uma
luz de esmeralda ou de jade
que a vir de dentro resuma
um fogo de eternidade 

quero olhar que se consuma
dentro do meu e que nade
como de amor se costuma
quando é de abraços a grade


You’ve really got a hold on me (Mike & the Mechanics)

I dont like you
but I love you
seems that im always thinking of you
though you treat me badly
I love you madly
you really got a hold on me (you really got a hold on me)
you really got a hold on me (you really got a hold on me)
baby

I dont want you
but I need you
dont want to kiss you
but I need to
though you do me wrong now
my love is strong now
you really got a hold on me(you really got a hold on me)
you really got a hold on me(you really got a hold on me)
baby

I love you and all I want you to do is just
hold me hold me hold me hold me
tighter
tighter

I wanna leave you
dont wanna stay here
dont wanna spend another day here
though I wanna split now
I cant quit now
you really got a hold on me(you really got a hold on me)
you really got a hold on me/(you really got a hold on me) 

baby
I love you and all I want you to do is just
hold me (please)hold me (squeeze) hold me hold me
you really got a hold on me( you really got a hold on me)
I said you really got a hold on me(you really got a hold on me)
you know you really got a hold on me


Vasco Graça Moura

Desejo

senti um desejo imenso
mas do modo mais estranho
não pertenço a quem pertenço
só pertenço a quem não tenho
e de assim ser não me acanho
nem já sinto quanto penso
e se penso não me empenho
sei apenas que dispenso
o que penso com engenho
e me venço e me convenço

digo pois que raciocino
com rigor de silogista
há premissas no destino
conclusão que fica à vista
e ao desejo sigo a pista
porque é doce e cristalino
mas também é terrorista
cruel, turvo e sibilino,
e quanto mais lhe resista
tanto mais me desprevino

sendo assim a imensidão
do desejo é comezinha
quer o que não tem e não
quer já nada do que tinha
diz, contradiz, adivinha,
e arrazoa sem razão
e nisso se desalinha
perde o pé e perde a mão
mas ganha o que lhe convinha
mais ganhar em perdição

senti um desejo imenso
mas do modo mais estranho
não pertenço a quem pertenço
só pertenço a quem não tenho
e de assim ser não me acanho
nem já sinto quanto penso
e se penso não me empenho
sei apenas que dispenso
o que penso com engenho
e me venço e me convenço


Infinito desejo (Maria Bethânia)

Ah! Infinito delírio chamado desejo
Essa fome de afagos e beijos
Essa sede incessante de amor

Ah! Essa luta de corpos suados
Ardentes e apaixonados
Gemendo na ânsia
De tanto se dar

Ah! De repente o tempo estanca
Na dor do prazer que explode
É a vida, é a vida, é a vida
E é demais
E esse teu rosta sorrindo
Espelho do meu no vulcão da alegria
Te amo, te quero meu bem
Não me deixe jamais

E eu sinto a menina brotando
Da coisa linda que é ser tão mulher
O santa madura inocencia
O quanto foi bom e pra sempre será
E o que mais importa
É manter essa chama até
quando eu não mais puder
E a mim não me importa nem mesmo
Se deus não quiser


Vasco Graça Moura

Soneto de companhia

falo às vezes do amor, dos seus dilemas,
e das noites de insónia em que me viro
para um e outro lado, mas prefiro
que o próprio amor escreva os meus poemas.

se o faz, à própria vida é que retiro
casos por mim passados e outros temas,
para depois usar estratagemas
de mentira e verdade e lhes adiro.

e então digo e desdigo e contradigo
o dito e o não dito, e deixo o gosto
nas entrelinhas do que não consigo

dizer de outra maneira e é suposto
andar a vida toda em mim, comigo:
e assim falo do amor e do teu rosto.


Let’s stay together (Al Green)

I'm, I'm so in love with you
Whatever you want to do
Is alright with me
'Cause you make me feel, so brand new
And I want to spend my life with you

Me sayin' since, baby, since we've been together
Ooo, loving you forever
Is what I need
Let me, be the one you come running to
I'll never be untrue
Ooo baby

Let's, let's stay together
Loving you whether, whether
Times are good or bad, happy or sad

Oooo oooo ooo ooo, yeah
Whether times are good or bad, happy or sad

Why somebody, why people break up
Oh, and turn around and make up
I just can't seeeeeeeee
You'd never do that to me
(Would you baby)
'Cause being around you is all I see
It's why I want us to

Let's, let's stay together
Loving you whether, whether
Times are good or bad, happy or sad

Let's, let's stay together
Loving you whether, whether


Vasco Graça Moura

Soneto destruído

talvez logo na berma de uma estrada
um par se beije transtornadamente
e o destino os separe de repente
entre as duas e as três da madrugada

talvez a lua fria os desinvente
e só lhes traga sombras e mais nada
e por saída só lhes dê a entrada
para o túnel da noite à sua frente

talvez então as faces se desolem
talvez depois em cinza e solidão
a aurora ponha um luto, talvez colem

as nuvens o seu dorso rente ao chão
talvez por não ousar ninguém mereça
o que viveu. talvez não amanheça.


Free as the morning sun (Carlos Santana)

Don’t expect and you won’t be disappointed
And don’t judge
Offer your love

Don’t make promises to the world
Keep them to yourself
You’ll be better off

Hey! I know what I’m talking about
I know what I’m talking about

Don’t complain
Go out and do it yourself
Later on, you’ll be better off

Don’t look back, especially if it’s painful
Turn within, you’re going to find delight

Free as the morning sun
Free as the morning sun
Free as the morning sun


As fachadas são barrocas nas suas cantarias,
uma ou duas janelas estão iluminadas,
há os passos do guarda sobre o saibro,
as rãs no lago calaram-se e o rumor
é agora apenas o de uma água imaginária.


Música:

Genérico
Davy Spillane (abertura e fecho), Beatles (Fecho)

Fundos
Clannad, Oystein Sevåg & Lakki Patey, David Lanz, Andy Summers

Ligações
Mike & The Mechanics, Maria Bethânia, Al Green, Carlos Santana

Textos:
Vasco Graça Moura

Edição e voz:
José-António Moreira


•••|•••|•••


And in the end

the love you'll take

is equal to the love you make

© José-António Moreira 2012