Cristovam Pavia

Cristovam Pavia
Ao meu cão Fixe


Ao meu cão Fixe

Agora os crepúsculos são frios
E a brisa traz a humidade das folhas mortas…

Tu, meu cão, cerras os olhos e dormes…

Vem aí Dezembro…
Tenho saudades do teu silêncio,
Do teu focinho macio e quente,
Do teu olhar,
Meu amigo!

Oh! meu cão, para ti ainda sou o teu dono menino
E és o único que me acompanha nos passeios mágicos…

Depressa lá estarei contigo. Dezembro aproxima-se…

Agora os crepúsculos são frios…


© José-António Moreira 2012