FannyCosta

Fanny Costa
Uma carta de amor


Uma carta de amor

Olá meu amor…


Nesta madrugada pontilhada de estrelas, oiço a melodia da Lua que me sopra acordes de ti… e o meu coração baila nesta sinfonia de lembranças meigas e perfumadas… de outras vidas.


O teu olhar invade-me e eu entro nele. Vejo o mar e as ondas dos teus reflexos em mim… mergulho nas emoções do teu pensar que me abraçam em cada ondulação da tua alma... navego nas estrelas que me deixaste em cada tesouro do teu sentir.


Sabes? Eu não queria sair deste oceano que me traz a tua memória e me enfeita a alma com os corais que me ofereceste em cada abraço... em cada beijo… sonhados.


Eu sei... é só um sonho… eu nunca te vi, mas sinto-te em cada respiro, em cada brisa que me afaga o rosto da alma, em cada amanhecer em que vejo o Sol sorrir… um sorriso que vem dos teus olhos quando murmuras ao vento o amor que sentes por mim...


Às vezes pergunto-me? Será que também sentes a mesma saudade? Que sentimento é este, afinal? Será que os nossos gritos calados no coração da noite chegam aos ouvidos das constelações em que habitamos? Será que sentes o mesmo que eu, meu amor?


Eu sinto-te! Oiço-te na brisa do vento… escuto no cântico dos anjos a música da tua alma chamar por mim… mas será somente um sonho meu?!


Sabes? Continuarei a escrever estas cartas, simples fragmentos da minha alma, suspiros solitários que se soltam do meu peito… gotas de tristeza que escorrem dos meus olhos marejados de uma saudade eterna… que eu abrigo no coração das minhas mãos vazias e cheias de ti.


© José-António Moreira 2012