JoseCarlosSoares

José Carlos Soares
Guardo ainda esse sorriso
Agora que a dor regressa
Devagar acende os gestos


Guardo ainda esse sorriso

Guardo ainda esse sorriso, doce

desordem neste encanto. Guardo

a boca, o branco inflamado

dessa imagem.


Palavras que me deste. Fogo,

folhas da manhã entrelaçadas

quando apavorados

subimos dardejando

esse delírio.


Sulcos, segredos, ervas,

sinais da morte

pequeninos.




Agora que a dor regressa

Agora que a dor regressa

às mágicas folhagens


agora que regressa

o musgo cresce

por entre a sombra viva

e derramada.


Arde na boca o aroma

a cinza leve da lama


arde na boca o segredo

a branca língua do frio.




Devagar acende os gestos

Devagar acende os gestos

da fogueira


e devagar enterra

os olhos nesse brilho

magoado sobre o peito.


As mãos afagam sombras,

gestos, sangue


e devagar aquece

a terra inteira.


© José-António Moreira 2012