ManuelAntonioPina

Manuel António Pina
A porta estreita


A porta estreita

A porta estreita do regresso

abre-se finalmente para aquele

que perdeu a paciência e também a impaciência

e que pára sobre o coração sem lugar de tudo.


A visão de esse, de o que está fora,

de aquele que regressa sem ter partido

dançando sobre os destroços da sua imagem,

é o que me vê a mim; falo ainda de mim


embora por um momento só.

Mas já não sou o mesmo nem sou diferente.

O dentro de isto está fora

de mim e de si próprio.


© José-António Moreira 2012