VieiraSilva

Vieira da Silva
Quadras de Maio
Para a construção da cidade necessária


Quadras de Maio


ninguém nos vai dividir

somos um barco no mar

as ondas batem no casco

mas nada nos faz parar


em abril deste-me um cravo

em maio dei-te amizade

não há nada meu amigo

mais forte que esta unidade


quanto mais sorris maria

mais sinto o sol a nascer

em maio vais com as outras

não sabes o que é ceder


contigo amigo contigo

com todos de braço dado

que a vida é este futuro

que a morte é esse passado.




Para a construção da cidade necessária (Vieira da Silva)

tu

que acreditas

que a bruma

vai rasgar-se em dia aberto

tu

que acreditas

que o vento

vai quebrar-se em mar de calma

porque te ficas sentado

à janela da quimera

porque não vens para a rua

provocar a primavera

vem

vem desenhar o futuro

na morte deste presente

vem

vem mostrar a madrugada

e vem dá-la a toda a gente

tu

que adivinhas

que as nuvens

vão desfazer-se em azul

tu

que adivinhas

que a noite

vai resolver-se em luar

porque te deixas dormir

na cama da tradição

porque não fazes do sonho

o grito duma canção

vem

vem transformar o amor

até hoje inexistente

vem

vem construir a cidade

e vem dá-la a toda a gente.


© José-António Moreira 2012